Facebook divulga relatório arquivado após críticas de que teria 'escondido' versão desfavorável

Empresa divulgou pela primeira vez em agosto ranking de posts mais populares nos EUA. Jornal 'New York Times' teve acesso a versão de janeiro a março, que não foi publicada....

Por Redação em 24/08/2021 às 02:08:51
Empresa divulgou pela primeira vez em agosto ranking de posts mais populares nos EUA. Jornal 'New York Times' teve acesso a versão de janeiro a março, que não foi publicada. Nela, link mais visto colocava dúvida sobre segurança de vacinas. Logomarca do Facebook

Dado Ruvic/Reuters/Arquivo

O diretor de comunicações de políticas do Facebook, Andy Stone, foi ao Twitter no último sábado (21) para defender a decisão da empresa de não publicar um relatório de transparência sobre os links mais vistos na rede social entre janeiro e março de 2021.

A polêmica começou após uma reportagem do jornal americano "New York Times" apontar que a empresa não teria publicado o ranking do 1º trimestre do ano por preocupações de que ele prejudicaria a imagem do Facebook.

O jornal teve acesso a essa versão e afirmou ter recebido trocas de e-mails internos entre executivos da rede social que confirmariam a apreensão dos executivos.

Isso porque o link mais visto pelos americanos entre janeiro e março de 2021 foi uma reportagem do jornal "The South Florida Sun Sentinel", distribuída pelo "Chicago Tribune", que colocava dúvida sobre segurança de vacinas.

LEIA MAIS: Tudo que você precisa saber sobre 5 imunizantes contra o coronavírus

Posso ser infectado pelo coronavírus ao tomar a vacina?

A manchete dizia que um médico "saudável" teria morrido duas semanas após receber a primeira dose da vacina contra Covid-19.

Uma investigação do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA apontou que não foram encontradas evidências o suficiente para ligar sua morte com a vacina.

Após a reportagem do "New York Times", o chefe de comunicações do Facebook defendeu a decisão de não ter liberado o relatório no primeiro trimestre e negou que tenha arquivado por ser desfavorável à imagem da rede social.

Ele disse que o Facebook "segurou" o relatório porque "havia correções importantes no sistema que queríamos fazer" e publicou um link que leva ao ranking do 1º trimestre, que inicialmente não foi divulgado.

u

A partir de agora, o informe de transparência da rede social, liberado a cada três meses, vai incluir um ranking de posts, links e páginas mais vistos pelos usuários nos Estados Unidos.

O link mais visto entre março e junho é de um evento para universitários do time de futebol americano Green Bay Packers.

O primeiro link relacionado à Covid que aparece no ranking foi o 3º mais popular, e aponta para uma página da Unicef sobre as ações de resposta à pandemia realizadas na Índia.

O G1 perguntou ao Facebook se a empresa deve liberar um relatório similar para o Brasil. A empresa disse que "ainda não há previsão de uma versão do relatório com recorte por país".

Fonte: G1

Comunicar erro

Comentários