Atendimento na Upa João XXIII termina em confusão

0
833

Rio – Um funcionário da Upa João XXIII, que fica em Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio, foi agredido por um paciente. Segundo informações, o técnico de enfermagem Getúlio, estava trabalhando na sala de medicações.

Leia: Cesarão, em Santa Cruz, deve receber reformulação de UPP

De acordo com testemunhas, a agressão ao funcionário teria começado de maneira verbal. Logo após, passou a ser física, isto porque, segundo relatos, o paciente não quis esperar na fila para ser atendido e tentou furá-la.

Getúlio levou um soco no rosto. Após a agressão, o suspeito foi embora. Outros pacientes que estavam na unidade de saúde comentam que Getúlio é educado e, que também, já seria um senhor de idade.

Confira baixo o relato recebido via WhatsApp: Ontem dia 18 na UPA da João XXIII em Santa Cruz um técnico de enfermagem com nome de Getúlio, que estava trabalhando na sala de medicações foi agredido verbalmente e fisicamente por um pct que não quis esperar na fila. Ele desferiu um soco no rosto do profissional, logo após um resposta negativa quanto a furar fila. Logo após o ocorrido o agressor foi embora sem q fizessem nada. O profissional foi amparados por alguns colegas e o mesmo foi orientado a procurar a polícia. Eu estava lá e fiquei indignada com tudo que aconteceu. Ele é um profissional educado, ele já é um senhor. Onde vamos parar? Em momento algum eu vi viatura. E depois eu vi o mesmo senhor indo embora, esperando uma vá na calçada enfrente a UPA, sozinho e chorando. Gente vamos ter mais empatia com o outro, o enfermeiro também é ser humano.

No entanto, outro lado da história não confirma o fato. Segundo ele, não houve tentativa de furar a fila e, sim, negligência por parte do profissional com uma paciente que ele estava acompanhando.

Confira o relato: Foi eu quem deferiu o soco no “senhor bonzinho” que vocês estão citando aí. Sei que não justifica, mas o mesmo “Bom samaritano” citado na publicação, Agiu com total negligência com a minha mãe e com total falta de respeito com a minha pessoa, E isso pessoa nenhuma deve aturar. Corrigindo uns pontos da publicação : Ninguém estava tentando furar a fila, Eu já estava na sala com a minha mãe. A mesma estava desmaiada a ponto de ter um AVC, e o “Bom samaritano” quando foi pedido EDUCADAMENTE para que chamasse alguém pra ajudar. OLHOU DENTRO DA MINHA CARA E DISSE ” EU NÃO, CHAMA VOCÊ “, em tom de deboche, Até aí não houve agressão alguma. Eu gritei com ele perguntando se ele achava que eu estava de sacanagem, os seguranças chegaram . Quando ele viu que os seguranças chegaram ele cresceu o peito pra mim e foi aí que eu dei o soco.

Deixe uma resposta