Connect with us

Santa Cruz

Ternium Brasil está investindo na criação de escola técnica em Santa Cruz

Published

on

Ternium Brasil, dona da usina siderúrgica localizada em Santa Cruz, divulgou que vai investir US$ 40 milhões, cerca de R$ 210 milhões de reais,na construção de uma escola técnica com pretensões sociais no mesmo bairro carioca. A Escola Técnica Roberto Rocca vai ensinar eletromecânica, mecatrônica e será o principal projeto do recém-criado Instituto Ternium, que reúne as iniciativas sociais da empresa no Brasil.

O nome da unidade homenageia o empresário ítalo-argentino, morto em 2003, que expandiu globalmente a empresa fundada pelo pai em 1945, a Techint, dona da Ternium. E a escola vai replicar no Brasil modelo de escola já implementado pelo grupo no México e na Argentina.

Fernanda Candeias, diretora do Instituto Ternium, afirma, ao O Globo, que o “foco das nossas ações é sempre desenvolver Santa Cruz e a escola vai nessa direção. Queremos que toda a infraestrutura seja utilizada também pela comunidade, como o auditório e as quadras esportivas”.

Construção

A Ternium comprou um terreno de 161,6 mil metros quadrados às margens da Rodovia Rio-Santos, no sentido Rio para erguer o colégio. A unidade vai ocupar 8,8 mil metros de área construída. As obras começam dentro de três meses e devem ficar prontas em 2025, quando as atividades da escola se iniciam com 192 alunos do primeiro ano do ensino médio.

Em 2027, a unidade deve estar funcionando com a capacidade máxima de 576 estudantes.

Mensalidade

Companhia Siderúrgica do Atlântico (CSA), comprada da alemã Thyssenkrupp pela Ternium há cinco anos, já havia construído uma escola em Santa Cruz. Mas o Colégio Estadual Erich Walter Heine — nome do presidente da CSA que morreu no acidente da Air France — foi erguido em 2011 por meio de uma parceria público-privada e é de inteira responsabilidade do governo do Estado.

Já a nova escola técnica será 100% gerida pela Ternium, que vai bancar suas operações. A companhia estima que o custo anual será da ordem de US$ 4 milhões, cerca de R$ 21 milhões. Todos os alunos terão alguma bolsa, mas nem todas serão integrais. “Ainda não fechamos os valores, mas serão mensalidades acessíveis e compatíveis com a renda da região”, concluiu Fernanda.

Continue Reading
Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Não copie, Compartilhe!